Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

Caríssimos amigos gatófilos e demais visitantes

Deixem aqui os vossos comentários, enviem "coisas de gatos" para o nosso e-mail: velhogatosabio@gmail.com e espreitem a página VGS no Facebook: Isabel Santos Brás (Velho Gato Sábio). Obrigada pela vossa visita. Voltem sempre!

Citação sobre gatos em destaque

“O tempo passado com os gatos nunca é desperdiçado.” May Sarton

Cuidados Básicos Com o Novo Gato

mimi_2.jpg

Recordemos as regras basilares no que respeita a cuidar do nosso novo companheiro gato, de forma responsável:

 

- Dar boa paparoca ao gato a horas certas, na sua taça, a qual deve estar separada e ser lavada à parte da loiça de casa. Evitar usar detergentes.

- Ter sempre uma taça com água fresca e limpa à sua disposição. Se não existe a possibilidade de adquirir um bebedouro automático, especialmente daqueles em que a água é em movimento constante (os gatos preferem água fresca e em circulação, aliás muitos deles adoram beber água que corre pela torneira), pelo menos mude-se a água com maior frequência.

- Por muito que para muitos de nós seja agradável a sensação de ter o nosso amigo enroscado a dormir na nossa cama, é aconselhável treiná-lo a habituar-se a dormir numa caminha apropriada para ele.

- Não esquecer de limpar diariamente a sua “toilette”, renovando com frequência a areia ou aglomerado.

- Escovar e limpar o pêlo com regularidade e controlar se tem parasitas. No caso dos gatos com pêlo comprido, a escovagem e limpeza do pêlo deve ser diária.

- Atenção às unhas: se não foram desgastadas naturalmente no arranhador e se tornaram demasiado compridas e afiadas, pode ser necessário cortar com muita precaução somente a ponta, usando uma tesoura própria para o efeito. Se tivermos receio de magoar o nosso peludinho, podemos pedir ao/à Veterinário/a para ser ele/a a fazê-lo.

- Não esperar que o gato adoeça, mas levá-lo periodicamente ao/à Veterinário/a para consultas de controlo, e cumprir rigorosamente o calendário das vacinações e desparasitações (quer internas, quer externas) estipuladas.

- Treinar o gato, no devido tempo, para que respeite determinadas regras. Por exemplo, como podemos impedir que ele arranhe os sofás se deixamos que o faça durante vários anos?

- Não deixar o gato sair de casa, antes que ele se habitue ao novo ambiente. O mesmo vale para o caso de mudança de casa, bem como nos dias de festa em que estalam fogos de artifícios no ar.

- Antes de ir de férias, e sempre que não seja possível levar connosco o nosso amiguinho, certificar que ele fique bem entregue aos cuidados primorosos de familiares e amigos, ou de um bom Pet Sitter, ou (se nos podemos permitir) de um “hotel” para gatos.

 - Se tivermos uma gatinha e não desejamos que se torne uma mãe gata, é melhor consultar o/a Veterinário/a para a sua esterilização. Mesmo no caso do macho, sobretudo se é autorizado a sair de casa e não pretendemos que contribua para o drástico aumento do número de gatinhos nas redondezas, ou mesmo que permaneça confinado ao espaço da nossa casa, é conveniente abordar o assunto com o médico, que poderá aconselhar e explicar os prós e os contras deste procedimento. Mesmo que nos opunhamos a restringir a liberdade do nosso patudo, é conveniente pelo menos considerar esta hipótese e obter informação de fontes fidedignas, antes de decidir.

 

Texto e imagem Isabel Brás ©2015

 

Companheiros cibernautas gatófilos em destaque este mês:

Love Meow

4 comentários

Comentar post