Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

Caríssimos amigos gatófilos e demais visitantes

Deixem aqui os vossos comentários, enviem "coisas de gatos" para o nosso e-mail: velhogatosabio@gmail.com e espreitem a página VGS no Facebook: Isabel Santos Brás (Velho Gato Sábio). Obrigada pela vossa visita. Voltem sempre!

Citação sobre gatos em destaque

“O ideal da calma é um gato sentado.” Jules Renard

O gato na cultura indiana

deusa-shasti-devi-de-bengala.jpg

Representação da deusa Shashthi-Devi (in www.br.pinterest.com)

 

Voltamos a propor uma viagem na máquina do tempo para "espreitar" como era considerado o gato em outras culturas antigas. O gato era venerado de acordo com modalidades diversas, quer como animal dotado de poderes particulares, quer como símbolo de energias superiores. Em muitos casos, os grandes felinos, como os tigres, leões e panteras, conquistaram a mesma simbologia do gato doméstico, sendo equiparados a este último.

 

Desta vez vamos até à Índia. Na religião hinduista, Shashthi-Devi, adorada sobretudo em Bengala, é a sexta encarnação da Mãe Terra. Em sânscrito escreve-se षष्ठी que significa literalmente "seis". O seu nome é Deva Sena, consorte de Subramanya Swami (Kumaraswami). É a deusa da maternidade que protege a gravidez, o parto e as crianças. Acredita-se que ela está sempre detrás das crianças, tomando conta delas e ajudando-as a crescerem saudáveis e a terem longividade. Quem ler, escrever ou escutar as suas histórias será abençoado com crianças. É ainda a deusa da vegetação e reprodução. É representada como uma figura maternal, segurando uma ou mais crianças, e cavalgando um enorme gato que simboliza a proliferação.

 

Outra deusa adorada sobretudo em Bengala, é a deusa Durga. É representada com oito braços, carregando armas e assumindo mudras ou gestos simbólicos com as mãos. Cavalga o seu animal sagrado, o tigre (por vezes também o leão), que representa a energia criativa feminina. Em bengali Durga escreve-se দুর্গা e em sânscrito दुर्गा, significando literalmente "a inacessível" ou "a invencível". Também conhecida como Maa Durga ("Mãe Durga"), é uma forma de Devi, a "Mãe Divina", a deusa suprema. Assume igualmente outras formas como Parvati, a esposa de Shiva, e Kali, outra manifestação de Parvati. Nasceu por vontade de outros deuses, entre os quais Shiva, com a missão de combater o demónio Mahishasura, que não podia ser derrotado nem por homens nem por entidades celestiais. A deusa Durga, sendo uma mulher guerreira, conseguiu matá-lo com o seu tridente. Existe uma vasta literatura que narra a sua gesta.

 

deusa-durga.jpg

Representação da Deusa Durga e o seu tigre Damon (in www.br.pinterest.com)

 

Na Índia encontram-se ainda estátuas de gatos ascetas que representam a beatitude do mundo animal, e o gato é considerado igualmente o aspeto de Yogini Vidali. Vidal em sâncrito é um sinónimo de gato. Narasimha, quarta encarnação do deus Visnù, é representado com corpo humano e cabeça de leão. A sua tarefa era derrotar um demónio que não podia ser morto por um deus, um homem ou um animal. Narasimha, o "Homem Leão" não era nenhum deles mas possuia as três naturezas, pelo que foi capaz de triunfar sobre o demónio.

Companheiros cibernautas gatófilos em destaque este mês:

Ronronar