Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

Mensagem de abertura

Caríssimos amigos, deixem aqui os vossos comentários, enviem "coisas de gatos" para o nosso e-mail: velhogatosabio@gmail.com e espreitem a página VGS no Facebook: Isabel Santos Brás (Velho Gato Sábio). Obrigada.

Citação sobre gatos em destaque

“Amo os gatos porque amo a minha casa e, a pouco e pouco, eles tornam-se a alma visivel.” Jean Cocteau

Paparoca de Gato

antonio_2.jpg

 

 

Lembro-me quando era miúda e ia visitar os meus avós maternos, que viviam no campo. Adorava ver os animais lá de casa. Pedia sempre à avó para me deixar ir tirar leite às cabras: era tão saboroso e fresquinho, e a avó fazia os melhores queijos do mundo com o leite! Depois entretinha-me a dar ervas tenrinhas às cabras e às ovelhas, feno às vacas, milho às galinhas, cevada aos coelhos, e “levadura” (uma mistura de farinhas com restos de hortaliças e fruta) aos porquinhos.

Mas o que gostava mesmo era de espreitar os gatos que rondavam por ali. Aqueles eram livres. Iam e vinham quando lhes apetecia. Os avós diziam que eram-lhes úteis porque caçavam os ratos que iam comer o milho e outros cereais guardados em grandes arcas de madeira no palheiro. Também se alimentavam de sardaniscas e pássaros incautos.

Porém, se estávamos a almoçar não era raro sentir os seus miados à porta. Chegava-lhes aquele irresistível odor dos peixinhos que meu avô pescava no rio Nabão, e que minha avó fritava, fazendo acompanhá-los por um pratado de hortaliças do quintal, cozidas na panela de ferro que estava sempre à lareira. Antes de se lavar a loiça, juntavam-se os restos dos peixes, com as espinhas e as peles, e dava-se aos gatos que devoravam tudo sem cerimónia. E o mesmo valia para qualquer outra coisa que sobrasse às refeições, incluindo sopas de leite ao pequeno-almoço.

Eram outros tempos. Hoje em dia, quem tem gatos em casa preocupa-se bem mais com a sua alimentação. E questiona-se. É seguro para a saúde do(s) meu(s) precioso(s) amigo(s) dar-lhe(s) restos, ou mesmo a comida que os humanos comem?

 

Tobias: O que estás a escrever?

Humana Bé: Um pequeno apontamento sobre as minhas memórias de infância, relacionadas com a vossa alimentação. Ora lê.

Tobias: Miau... peixe!!!! Adoro peixe!!! Há algum hoje para mim ao almoço?

Humana Bé: Lamento, hoje faço empadão de carne. Mas tu tens os biscoitos de salmão na tua taça. E se quiseres, posso dar-te igualmente paté de peixe. Comprei ontem na loja de animais e é da marca que tu gostas.

Tobias: Bah... estou um bocadinho farto daquilo. Posso antes comer um pedaço do vosso empadão?

Humana Bé: Sabes bem que o teu Doutor não aprova que eu te dê da nossa comida. Diz sempre que a comida seca e húmida para gatos é mais apropriada, aquela de boa qualidade bem entendido, porque é confeccionada com a supervisão de veterinários e tem em conta as necessidades específicas dos gatos nas diferentes fases do seu ciclo de vida.

Tobias: Eu sou um gato ansião. Quais são as suas recomendações em termos da minha dieta?

Humana Bé: Para gatos ansiãos como tu, as sugestões dietéticas do veterinário são as seguintes:

1. Se o teu apetite aumentar, posso aumentar-te um bocadinho as doses, ou então manter as mesmas quantidades e distribuí-las mais vezes ao dia.

2. Nunca me devo esquecer de fornecer-te água tépida em abundância, porque é perigoso que tu não bebas água. Com a idade tendem a surgir problemas nos teus rins e vias urinárias. É por isso que tens sempre à disposição um bebedouro com água renovada, e que vou contigo ao Doutor todos os meses para um controlo.

3. Também te posso dar um bocadinho de leite se quiseres. Embora alguns gatos não o consigam digerir, agora tal como para os humanos há leite sem lactósio, também já se vende leite para gatos intolerantes. Mas nada de abusos para não sobrecarregar o teu fígado sensível.

4. Para além da comida seca e de lata que compro especialmente para ti, também posso preparar-te alguma comida fresca, com alto teor proteico como peixe e carne, de vaca, de cordeiro, de porco, de aves e de coelho. Mas cozinho-a à parte para ti. Cozo sempre a carne para evitar riscos de contraires toxoplasmose, e corto-a em pedacinhos pequeninos para que possas mastigá-la melhor, já que os teus dentes não têm a força para rasgar a carne como outrora. Tempero com um tudo de nada de sal iodado e um fiozinho de azeite, e por vezes junto um bocadinho de toucinho para te favorecer as necessidades calóricas e para o teu pêlo, pois o teu organismo já não absorve tão regularmente as susbtâncias nutritivas e perdeste muito do teu estrato adiposo subcutâneo. Já o peixe não deve ser cozido, mas grelhado ou ao vapor, desfiado e sem espinhas para não te engasgares.

5.Como o teu intestino tende a ser preguiçoso, acrescento de vez enquando parafina líquida. As fibras contidas nos vegetais cozidos preferencialmente ao vapor, que acompanham a carne ou o peixe, ajudam igualmente a evitar a prisão de ventre.

Tobias: Está muito certo. Mas a vossa comida cheira tão bem...

Humana Bé: Nada da nossa comida e muito menos de restos. E guloseimas, nem pensar! Sei que adoras bolo, mas faz-te mal. É por isso que mesmo que insistas, deitando a casa abaixo com os teus miados, daqui não levas nada disso.

Tobias: Ok, ok, fico desolado por causa do bolo, mas feliz porque te preocupas comigo e cuidas bem de mim. Agora posso ir brincar?

 

Texto e imagem de Isabel Brás ©2014

 

 

 

Companheiros cibernautas gatófilos em destaque este mês:

44 Gatti