Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

VELHO GATO SÁBIO

Os gatos são uma fonte inesgotável de conversa para quem, como eu, há muito se rendeu completamente à sua sublime beleza e ancestal sabedoria...

Caríssimos amigos gatófilos e demais visitantes

Deixem aqui os vossos comentários, enviem "coisas de gatos" para o nosso e-mail: velhogatosabio@gmail.com e espreitem a página VGS no Facebook: Isabel Santos Brás (Velho Gato Sábio). Obrigada pela vossa visita. Voltem sempre!

Citação sobre gatos em destaque

“Eu poderia viver sem muitas coisas neste mundo. Mas não poderia viver sem a delicadeza e subtileza dos gatos” Amara Antara

O gato Japonese Bobtail

maneki neko_japonese bobtail.jpg

 

Japonese Bobtail é um gato apropriado para os humanos que buscam a felicidade. É compatível com  todo o tipo de humanos, conseguindo fazer emergir o melhor das pessoas, como grande filósofo que é e vendo nelas sempre algo de positivo, mas dá-se particularmente bem com os otimistas, artistas e espiritualistas. Um "belezoca", com a sua cauda em forma de pom-pom, muito inteligente e com um caráter benévolo e muito sociável. No Japão é considerado um verdadeiro amuleto, trazendo alegria e prosperidade às casas de quem o acolhe com amor e respeito. Por conseguinte, empresta os seus dons às simpáticas estatuetas Maneki Neko, do gatinho sentado com uma patinha levantada que parece saudar ou chamar, atraindo a Fortuna, pelo que se encontram espalhadas em todos os restaurantes, lojas e casas japonesas (e agora também um pouco por todo o mundo). 

 

Os Maneki Neko já durante a Dinastia Meiji, na segunda metade do século XIX, eram de tal modo populares ao ponto de serem vendidos fora dos templos. Existem mesmo três lendas ligadas à sua criação: uma delas refere que um homem muito famoso (um samurai, um nobre ou até mesmo o próprio imperador), ao passar por um gato que lhe acenava, desviou-se da estrada para observá-lo de perto, escapando assim de uma emboscada de malfeitores que queriam matá-lo. A segunda lenda conta que uma prostituta vivia com um gato, o qual uma noite impediu-a de exercer a sua prática, pelo que o proprietário do bordel decapitou o gato com uma espada mas que mesmo assim ferrou os dentes numa perigosa serpente, salvando a vida da sua humana. Um cliente, para consolar a rapariga, modelou em cerâmica um gato protetor, que desde então a avisou dos perigos que corria. A terceira lenda conta a história de uma velha viúva, que um dia se viu obrigada a vender o seu gato para mitigar a fome. O gato apareceu-lhe em sonho para saudá-la e a velha senhora plasmou no barro essa imagem do seu amado gato. Um dia um comerciante passou diante da sua casa e viu a estatueta, tendo encomendado outras semelhantes. Rapidamente a mulher ficou rica com a venda das estatuetas, tendo terminado os seus dias de forma muito confortável.

 

Embora japonês, o Bobtail provém originalmente da China, tendo sido levado para o Japão por volta do ano 1000. Os primeiros exemplares possuiam uma cauda muito curta, o que o tornou subitamente popular entre a nobreza, que os consideraram desde logo portadores de boa sorte. Segundo a mitologia nipónica, os demónios podiam transformar-se em gatos de cauda longa biforcada, sugando a energia vital dos humanos como se fossem vampiros. Esta crença levou, de facto, a muitos humanos cortarem a cauda aos seus companheiros gatos para evitar que estas se tornassem biforcadas, sinal de que se haviam transformado em demónios. Ora o Bobtail com a sua cauda naturalmente muito curta, não corria esse risco, razão pela qual se tornou muitíssimo apreciado, sendo imortalizado em diversas pinturas. A sua enorme fama contemporânea no Japão e no Ocidente deve-se a uma japonesa que tomava conta de gatos de rua, começando a escolher umas dúzias de gatos de cauda curta para iniciar uma seleção. Em 1968 enviou os primeiros exemplares a Elisabeth Freret, uma criadora norte-americana, do Maryland, e em breve muitos outros criadores americanos tornaram-se apaixonados pela raça, a qual foi reconhecida em 1976. Na Europa é ainda uma raça rara e cara.

 

O Bobtail é um gato de corpuratura média, com uma ótima musculatura que o torna mais pesado do que parece. As patas são longas e afuniladas, sendo as anteriores mais curtas do que as posteriores. Os pezinhos são ovais e pequeninos.Tem uma cabeça cuniforme, com grandes orelhas direitas e ponteagudas, nariz longo, olhos amendoados, grandes e muito expressivos. A cor dos olhos varia consoante a cor do manto de pêlos, muito subtis e macios, e que pode ser branco, preto, tartaruga, avermelhado e bicolor. Sendo uma raça natural, não são admitidos cruzamentos com outro tipo de gatos, afim de preservar a pureza genética.

 

Adora a companhia dos seus humanos, tolerando igualmente outros gatos ou até cães, que podem perfeitamente constituir os seus companheiros de brincadeira na ausência dos humanos. Responde quando o chamam, e o nome que lhe for atribuído deverá ser poético e encantador como o seu portador. Aprecia imenso a água, pelo que se houver um aquário, passará muito tempo a contemplar o  movimento "Zen" dos seus habitantes. Embora se adapte à vida de casa gosta mais do ar livre, deste modo, um jardim com qualquer cerejeira será ideal. Cuidado com a sua linha: é um comilão. O peixe (em todas as formas) é o seu alimento favorito. Se só lhe derem ração também a comerá, desde que seja de ótima qualidade, mas ainda assim sob protesto. E com tons de voz tais que nos incutirão inevitavelmente sentimentos de culpa, somente exorcizados com uma ida à peixaria.

Companheiros cibernautas gatófilos em destaque este mês:

Associazione Gatti d'Italia

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.